Navegação: Home História

História

25/08/2012 Aula - Insulinização

Onde e como aplicar insulina com: Caneta para Insulina , Seringa  ou   Caneta sem agulha ( Safe Inject )

Horário: 9h30

Local Sede na ADIABC

Com - Andréa Boffo Enfermeira e Eucadora em Diabetes

 

25/08/2012 Aula - Insulinização

Onde e como aplicar insulina com: Caneta para Insulina , Seringa  ou   Caneta sem agulha ( Safe Inject )

Horário: 9h30

Local Sede na ADIABC

Com - Andréa Boffo Enfermeira e Eucadora em Diabetes

 

25/08/2012 Aula - Insulinização

Onde e como aplicar insulina com: Caneta para Insulina , Seringa  ou   Caneta sem agulha ( Safe Inject )

Horário: 9h30

Local Sede na ADIABC

Com - Andréa Boffo Enfermeira e Eucadora em Diabetes

 

Regularizados Estoques de Insulina Glulisina (APIDRA)

Cabe a ADIABC informar em Relação a Insulina Glulisina (Apidra) que:

Os estoques foram regularizados, portanto não haverá mais faltas.

A Eficácia e qualidade do produto que é de fundamental Importância mantém-se a mesma de sempre.

É dever da ADIABC deixar seus associados atualizados !!

ADIABC

 

Nossa História

Endocrinologistas: João Sérgio de Almeida e Márcio KrakauerA ADIABC - Associação dos Diabéticos do ABC, foi fundada em 18/10/1998, sob a inspiração da necessidade de expansão e desenvolvimento da Casa do Diabético, entidade fundada pelo Lions Clube de Santo André - Campestre em 1984, através do Dr. Ettore de Toledo Sandreschi, membro do Lions e com a participação dos leões e domadores do Clube e dos médicos endocrinologistas, Dr. Arual Augusto Costa e Dr. João Sérgio de Almeida Neto.

Da fundação da ADIABC participaram os leões e domadores do Lions Campestre, os médicos acima citados e o Dr. Márcio Krakauer, que viria a ser seu 1º presidente, estando à frente da diretoria até os dias atuais.

“A necessidade de estender os conhecimentos e informações além do horizonte do consultório médico nos motivou a criar a ADIABC”, ressalta o presidente da entidade Márcio Krakauer. Junto com ele, participaram dessa empreitada os endocrinologistas João Sérgio de Almeida Neto e Arual Augusto Costa.

“Embora no Brasil haja mais de 200 Associações, hoje a ADIABC já pode ser considerada uma das dez maiores do país”, destaca Krakauer. Palestras, reuniões semanais, aulas de ioga, culinária, caminhadas, educação física e a conscientização de crianças e adolescentes são os trabalhos desenvolvidos pelos médicos e os cerca de 23 voluntários.
Para as crianças, a Associação tem uma programação especial. Todo segundo sábado do mês há um encontro com os pais e, neste mesmo dia, as crianças têm lugar reservado para brincadeiras, jogos e um acompanhamento educativo. Há também um "Weekend" - um final de semana, em geral em setembro, onde todos os profissionais de saúde da ADIABC ficam "internados" junto a crianças de 7 a 12 anos, realizando atividades educativas e recreativas. “As crianças saem desta atividade mais maduras, prontas para entender melhor o tratamento e mais participativas”, conclui o presidente da entidade. Segundo Krakauer, ao longo do ano também são realizados passeios de interesse das crianças.

A Associação também auxilia os familiares dos portadores de diabetes que, muitas vezes, são mais resistentes em aceitar a doença do que os próprios pacientes. “Sempre fui resistente em aceitar a diabetes da minha filha e a ADIABC conseguiu me auxiliar no conhecimento e acompanhamento da doença”, afirma Vilma Maria Lima, mãe de Evelyn que descobriu ser diabética com dez meses e hoje tem dez anos.

Ao longo do ano, a ADIABC promove mais três eventos: um Congresso para portadores de diabetes e médicos não especialistas, realizado em maio, o “Programa de Capacitação Médica” e a “Campanha de Detecção do Diabetes”, o último realizado no dia 14 de novembro, Dia Mundial do Diabetes.

É através da Campanha de Detecção que o endocrinologista revela que cerca de 12% da população do ABC é portadora de diabetes. “É papel da ADIABC detectar essas pessoas, encaminhá-las para tratamento e realizar seu maior papel: a educação em diabetes”, frisa Krakauer. No Brasil, as pesquisas demonstram que em torno de 8% da população é portadora de diabetes, no entanto, cerca de 40 % nem sequer sabem que são portadores, daí a necessidade da divulgação da doença.

A cada ano, o número de associados da ADIABC cresce cerca de 20%, e hoje a entidade conta com quase 800 sócios. Os associados pagam uma taxa de R$ 10 por mês podendo trocar o valor por produtos específicos nas lojas associadas.

Sem fins lucrativos, a ADIABC se mantém com a colaboração de parcerias, de recursos da indústria farmacêutica e da doação de voluntários. Márcio Krakauer lembra que o público alvo da entidade não se limita apenas aos portadores de diabetes, mas se estende a familiares e parentes, profissionais da saúde, como enfermeiros, psicólogos, podólogos, dentistas e médicos.

 

Atendimento

R. Almeida Garret, 51
Vl. Guiomar - Santo André - SP

Tel.: (11) 4992-5303
Celular: (11) 7844-3567
Nextel: 55*107*7230

Conecte-se

Acesse as redes sociais das quais fazemos parte.